Redução de custos operacionais: os 4 gastos considerados desnecessários

Saiba como reduzir custos operacionais

Fazer a redução de custos operacionais de uma empresa não é tarefa fácil.

No entanto, é a tarefa principal de um gestor, ter em mente o quanto sua empresa gasta no mês e principalmente quais são as áreas que demandam mais custos.

Ter essas informações em mãos é fundamental para o planejamento das ações futuras da empresa para que ela consiga rentabilizar melhor.

Por não ser uma atividade fácil,  poucos gestores conseguem identificar bem os custos que são considerados como desnecessários no cotidiano da empresa.

Um aliado que vem para ajudar nesse caso é o consultor empresarial e também os recursos digitais como softwares.

A situação é mais grave do que aparenta.

Segundo uma pesquisa global de redução de custos feita pela Deloitte indicou que a maioria das empresas possuem empecilhos ao adquirirem práticas de controle de custos operacionais.

Leia mais sobre o assunto neste artigo e falaremos alguns gastos que são desnecessários.

Serviço de redução de custos - Souf Consultoria Financeira em Redução de Custos e Despesas

Redução de custos operacionais dentro de uma empresa

No Brasil, 73% das empresas, segundo a pesquisa da Deloitte, afirmaram que não conseguiram alcançar suas metas de redução de custos operacionais no último ano.

Globalmente, os índices são ainda maiores chegando a 81%.

A principal questão na qual as empresas enfrentam é a falta de gerenciamentos desafiadores para a implementação de iniciativas.

Sendo assim, resultando em uma falta de visão eficaz e otimizada na administração.

Uma gestão eficaz de empresa deve saber separar os gastos que são descartáveis e desnecessário.

Isso serve para que o investimento possa ser otimizado e, quando bem-feito, esses investimentos permitem uma maior estabilidade da empresa em seu ramo.

Custos como a gerência de documentos e sua impressão podem ser diminuídos com a parceria de outras empresas, possibilitando assim, que a produtividade dos funcionários aumentem.

É mais que claro que esse tipo de atitude e mudança não acontece do dia para noite. Então a grande questão que fica no ar é: como reduzir esses custos?

O que caracteriza um custo operacional?

Basicamente o custo operacional de uma empresa fica por conta das atividades que asseguram sua operação.

Ou seja, estamos falando de todas os gastos geradas direta e indiretamente com produção. Tais como, desde o salário de colaboradores até matérias primas e contas de água, luz, etc.

No entanto, o principal desafio é saber entender o que é um custo e o que é um investimento.

Por exemplo, uma empresa que investe em maquinário como computador, pode considerar isso como investimento pois é um capital no qual foi investido mas que tem a finalidade de um retorno financeiro no futuro.

No entanto, a compra de papéis,  tintas e outros itens para escritório, acabam se convertendo em custo pois ainda que sejam essenciais para que a empresa funcione, não trazem um lucro futuro.

Quando o gestor conhece o custo que sua empresa tem, é possível então que produtos e serviços possam ser precificados de maneira correta para que não haja prejuízos.

Quando há uma falta de noção sobre esses custos, o controle financeiro do negócio passa a não ser eficaz e, assim, o gestor acaba por não saber realizar investimentos seguros, o que gera a uma impossibilidade de verificação de desperdícios.

Então, para que você consiga ter maior noção do que estamos falando, listaremos os quatro principais grupos nos quais geram maiores custos operacionais, alguns, desnecessários.

1. Custo Administrativo

  • Pagamentos de funcionários;
  • Serviços de escritório;
  • Matérias-primas;
  • Aluguel;
  • Contas de energia e água;
  • Serviços de atendimento;
  • Itens para funcionamento de escritório;
  • Gestão de pessoas;

2. Custo Financeiro

  • Pagamento de taxas e juros;
  • Cobrança de imposto;
  • Produção de notas;
  • Pagamento de dívidas;

3. Custos não recuperáveis

  • Custos que não podem ser recuperados por outros meios e foram pagos;
  • Multas de rescisão;
  • Multas por cancelamento dos contratos;

4. Custos de representação

  • Materiais impressos para suporte de vendas;
  • Distribuição de brindes;
  • Viagens corporativas;
  • Custos com refeição;
  • Locação;

Quando os custos são demasiadamente elevados, eles acabam resultando em impactos negativos no financeiro da empresa, sendo assim, sua margem de lucratividade acaba sendo baixa e, por consequência disso, o aumento de preço para ser trabalhado acaba aumentando.

Isso acaba na redução de competitividade da empresa.

Como fazer a redução de custos operacionais?

Inúmeras técnicas para redução de custos operacionais podem ser encontradas por aí. Uma das melhores formas de promovê-las, é com auxílio de uma consultoria empresarial.

No entanto, verificar se essas técnicas se encaixam na realidade e situação da sua empresa é essencial. Abaixo, separamos algumas das primeiras medidas que você pode tomar em relação aos custos operacionais, confira!

1. Ter maior controle no desperdício:

Perder parte dos lucros com desperdícios é a realidade de muitas empresas pois, a má gestão dela acaba pelo acontecimento de processos que não são necessários.

Sendo assim, a reavaliação de todas as etapas dentro da empresa é uma boa maneira de evitar esse desperdício.

Promover uma conscientização no uso de materiais também é uma boa opção a ser feita, acompanhando de perto todos os gastos, é possível começar a redução dos custos.

2. Giro rápido de estoque:

É na gestão do estoque que a empresa corre maior perigo e pode aumentar o seu custo.

Sendo assim, para um maior e melhor controle a fim de evitar despesas, o ideal a ser feito dentro de um estoque é um estudo de capacidade de armazenação de produtos.

E então, a partir disso, saber qual é a demanda que cada material oferece e também saber mais sobre o manuseamento de matéria-prima.

Desse modo, o gestor saberá qual é o volume mínimo e necessário que cada item apresenta e então, terá a possibilidade de reduzir a quantia de material para ser armazenado.

Afinal, quantias excessivas dentro de estoque é um sinal de dinheiro parado.

E quanto mais tempo o produto permanece estocado, mais são as chances de danos.

Com um giro de estoque maior, mais rápido se dá a entrada de dinheiro.

3. Renovação de equipamentos:

A compra de maquinário é um investimento pois poderá vir fazer sua empresa expandir a capacidade de produção e, fazer com que o custo de hora/máquina seja reduzido.

Isso pode ser uma boa ideia no controle de gastos pois máquinas ultrapassadas necessitam de mais manutenções do que máquinas novas.

Ou seja, os gastos de reparos são cortados fazendo com que o custo dessa operação seja nulo.

4. Sistemas de gestão:

Cálculos envolvendo despesas e gerenciamento de estoque não são planos impossíveis de serem feitos.

No entanto, o processo para isso pode ser facilitado trazendo mais segurança, confiança e também um menor custo a longo prazo.

Ao criar um sistema de gestão, se torna acessível a avaliação de volume que cada produto apresenta no estoque.

Desse modo, após a avaliação, é possível executar um maior controle financeiro do negócio e então diminuir gastos com impressões de relatórios que não são necessários.

Todo o acompanhamento poderá ser feito através de um painel de controle que sempre que for solicitado, poderá criar gráficos de atividade, com apenas poucos cliques, gerando assim, uma economia de tempo e averiguações de qualidade.

5. Renegociação de contratos:

Convém fazer a apuração de todos os seus fornecedores para descobrir como cortar os custos que são desnecessários.

Por exemplo, se você mantém contrato com uma empresa de telefonia e, nessa empresa, você estabeleceu a compra de um pacote que tem várias vantagens mais X minutos para você aproveitar.

No entanto, você não faz uso nem de metade desse pacote, então pode ser uma boa procurar outros planos que sejam mais baratos.

6. Uso de softwares:

O uso de softwares para gerenciamento pode ser uma grande solução em relação a diminuição de mão de obra.

Ou seja, antes, o que demandava vários funcionários executarem uma tarefa, principalmente administrativa, poderá ser ser resolvido com o auxílio da tecnologia.

Assim, sobra mão de obra para ser dedicada a outro setor ou então o corte de verbas em relação ao mantimento de funcionários em excesso.

Quais as vantagens da redução de custos operacionais?

Quando os custos operacionais são reduzidos, inúmeras vantagens são apresentadas.

A principal vantagem é o aumento de caixa.

Quanto menos dinheiro se gasta, mais lucro restará para a empresa.

Assim, a rentabilidade consegue ser muito maior na organização, que poderá tirar proveito de valores extras para que possam ser feitas melhorias no local.

Além disso, com custos reduzidos, uma maior vantagem competitiva é conquistada.

Ou seja, com uma sobra no caixa, um investimento maior em marketing e outras estratégias, podem ser feitas para alavancar a visibilidade do seu estabelecimento.

Com isso, você sempre estará um passo a frente da concorrência.

Souf Consultoria Empresarial - Saiba como reduzir Custos e aumentar os lucros.

O entendimento dos custos operacionais são extremamente importantes para que haja estratégias de redução dos mesmos.

Sendo assim, vimos alguns dos principais pontos que geram mais gastos em uma empresa e como reduzi-los.

A redução é de extrema importância em qualquer negócio pois, nenhum gestor está disposto a perder seu lucro para o desperdício.

Dessa forma, a implementação de uma melhor gestão acaba gerando vários benefícios para o empreendimento. E uma das formas de promovê-la é através da consultoria financeira, para saber mais sobre como ela funciona, clique aqui.

Nos conte aqui nos comentários se você conseguiu compreender este artigo. Qualquer dúvida a respeito dele fale conosco nos comentários para que possamos lhe auxiliar!

Gostou? Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×

Vamos falar sobre seu negócio?

Clique abaixo para conversarmos.

×