Como preparar sua empresa para os preços altos do mercado pós crise?

Tudo aquilo que interrompe o ciclo natural do mercado e do capitalismo afeta e nossa economia – e as crises que vivemos nos últimos anos são um reflexo de como precisamos de mais preparo.

O segredo está em preparar sua empresa para os preços altos que acontecem justamente depois das crises – porque é certo que as crises passam, e o problema está no mercado que nós encontramos depois delas.

Quer saber como preparar sua empresa para os preços altos, e manter sua estrutura de negócios e custos sempre resguardada?

Neste artigo nós falaremos sobre a retomada – e você certamente precisará deste conhecimento.

Os “xeque-mates” do mercado

O brasileiro deveria estar mais acostumado com crises, afinal foram tantas, e parece que ainda não aprendemos a lidar com estas situações de forma estratégica e inteligente.

E é claro que existem questões culturais ao redor disso – mas o importante é que, depois da crise, ainda existirá a necessidade de preparar sua empresa para os preços altos.

E eles virão de todos os lados:

  • Fornecedores
  • Insumos
  • Impostos
  • Legalidades
  • Funcionários
  • Marketing, para reacender o ritmo de compras

Enfim, todo mundo sai de um período de crise como se estivesse em um longo jejum: faminto.

Contudo, a necessidade acumulada no período de recesso não pode ser o impulso para uma grande quebra da cadeira de necessidades.

Cada empresa precisa de seus fornecedores – e cada degrau da escalada pode absorver uma parcela do prejuízo, para não comprometer a escada.

Se um degrau, ou fornecedor, quebra, você também sofre – então o cenário que precisa ser instalado é de parceria, e não mercenarismo.

O prejuízo já é real – e não deve ficar nas costas de um único negócio.

Driblando os aumentos de preços

O retorno da economia como um topo, assim como o primeiro momento depois de um terremoto é a hora em que o apoio mútuo é mais importante – e uns precisam ajudar os outros a se reerguer, pois preparar sua empresa para os preços altos é, na realidade, um momento de troca com o mercado.

Então a sua primeira atitude deve ser o diálogo e negociação.

Não comece “chorando as suas pitangas” – ouça as pitangas dos fornecedores, troque figuras sem vitimismo, e parta para a ação em parceria.

Este é o momento de explicar que tentar tirar o atraso nos primeiros meses vai sufocar a sua estrutura, e todos perdem.

E recuperação precisa ser gradual, e para todos, então não deixe de disseminar esta vontade de se reerguer.

Ofereça parcerias de longo prazo para os fornecedores que te ajudarem agora – afinal ter garantias de valores agora é uma ótima decisão, que contribui para a cadeia.

Todos estão abalados – e um pouco de compromisso e segurança é uma ótima pedida.

Por último, pense além do seu umbigo – e indique novos contatos e negócios para seus parceiros – afinal, ajudar seu parceiro a crescer e ascender depois da crise é uma forma de garantir que um de seus canais não seja interrompido.

Este é um momento de olhar para frente, e aprender a preparar sua empresa para os preços altos e tudo mais que virá.

E por último, é importante que a sua empresa tenha o caixa e os custos em dia – pois definitivamente este é o momento que desperdícios são inaceitáveis.

Pensar no futuro, tanto em termos de prevenção para outras situações, como para as possibilidades que as crises podem abrir.

E, inclusive, nós temos um artigo completo sobre aprender e crescer nas lições de uma crise.

Este é o momento de afiar o machado, se instruir e aprender a ser melhor e mais estratégico – então aproveite o nosso conteúdo, que é pensado com muito carinho para te ajudar.

Aproveite e nos siga no Twitter, para pegar nossas pitadas de conhecimento ao redor da redução de custos e tudo mais que te ajude a ser mais lucrativo.

Gostou? Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×

Vamos falar sobre seu negócio?

Clique abaixo para conversarmos.

×