Qual será o efeito rebote para empresas ao final da crise do Corona?

Os empresários que acreditaram que 2020 seria um ano próspero estão sofrendo com as consequências da Crise mundial do Vírus Covid-19.

E os impactos serão grandiosos, tanto no período de contenção do vírus, como durante muito tempo depois dela, onde levantar a empresas ao final de crise do Corona será uma tarefa árdua.

Contudo, existe um impacto maior, que acontecerá como um efeito rebote da crise do Covid-19 – e nós vamos discutir tudo sobre isso neste artigo.

A inconsolável sensação de perda

Se durante uma crise como no Corona, a sensação geral é de medo e apreensão, a expectativa é de que, quando o pior momento passar, nós tenhamos a sensação de perda – que é parecido com o efeito motorista lento.

Você já esteve na situação de estar no seu carro, e o motorista da frente ser muito lento – e então, no momento que houver oportunidade, ultrapassar e acelerar, para compensar o tempo perdido?

Esta é uma sensação natural e irracional do ser humano – afinal, de quanto tempo no máximo estamos falando? 60 segundos?

Perceba que, na lógica, não faz sentido sair acelerando depois de ultrapassar – e o mesmo vai acontecer com o mercado de forma geral.

Assim que o mercado começar a reagir novamente, muitos negócios vão querer compensar o tempo perdido, ou no caso, o dinheiro perdido – e a forma de fazer a acelerada em troca de compensação financeira e emocional será uma verdadeira guerra de preços.

O senso de unidade das empresas ao final da crise do Corona vai cair por terra, revelando o desejo natural das pessoas de cuidar do seu, antes do próximo – e isso é um problema para todos, porque a vontade é de tirar vantagem e lucrar mais, num cenário em que todos foram feridos.

Mais do que compensação, este é o momento de união, onde cada elo da corrente se fortalecerá, gerando um mercado vencedor, e não explorador.

Fugindo da guerra de preços

Então a guerra de preços é praticamente inevitável para as empresas ao final da crise do Corona.

Contudo, existem formas importantes para driblar essa situação.

A primeira delas é trabalhar na melhoria de seus processos e produtos.

Custos desnecessários e perdas financeiras não tem lugar neste cenário para empresas ao final da crise do Corona – e você definitivamente não deve estar neste time.

E certamente não deve estar no time daqueles que baixam preços, e também a qualidade.

Não é a hora de colocar coisas malfeitas no mercado, pois o seu legado pós crise será lembrado nos consumidores.

Você quer ser da empresa que tira vantagem e explora as pessoas no final da crise, ou será daquelas que compreende, e pretende crescer no longo prazo.

O momento é oportuno para criar laços com o consumidor, parceiros, fornecedores e outros envolvidos na cadeia – pois as pessoas vão gostar de se lembrar do apoio das empresas ao final da crise do Corona, e vão repudiar as empresas exploradoras.

Este é um efeito de branding, que não deve ser negligenciado em nenhum momento.

Decisões de agora podem consagrar um futuro bastante arriscado para o seu negócio.

O caminho agora é de recuperação lenta – assim como os pacientes do Covid-19 – portanto, muito repouso e planejamento de longo prazo, porque assim como todas as crises, essa também vai passar.

E você já nos segue no Instagram? Com ou sem crise, sempre temos conteúdo de qualidade por lá.

Gostou? Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×

Vamos falar sobre seu negócio?

Clique abaixo para conversarmos.

×