Como a crise do Corona Vírus pode alavancar seu negócio?

Neste exato momento o mundo está vendo um cenário ainda não visto por nenhuma de nossas gerações, com a pandemia instaurada pela crise do Corona Vírus no mundo.

O cenário é de muita insegurança – tanto pela saúde das pessoas como pelo impacto que vai ser gerado na economia dos países e dos negócios.

E é claro: esta crise não poderia ter sido prevista, e o impacto já está acontecendo.

Neste momento, não há tempo de prevenir – mas já podemos projetar o futuro, determinando como a crise do Corona Vírus pode alavancar seu negócio.

Quer saber como? Neste artigo nós vamos mostrar como alavancar o seu negócio usando as lições que a crise do Corona Vírus trouxe para o mundo.

Um exercício de Essencialismo

No atual cenário que estamos tendo que encarar sobre a crise do Corona Vírus, certamente muitas transformações vão acontecer – tanto na economia mundial como em seu impacto para cada negócio.

Para o momento, tudo que podemos fazer são pequenas medidas reativas para garantir a estabilidade dos nossos negócios e das pessoas que dependem deles.

Contudo, a primeira maior lição que a crise do Corona Vírus vai nos deixar é a capacidade de usarmos o essencialismo, mantendo acima de tudo o controle emocional.

O essencialismo é uma linha de pensamento que afirma que não podemos agir sobre coisas que estão fora do nosso controle.

Então nós podemos trabalhar contra a crise do Corona Vírus?

Em termos de saúde, cada pessoa deve fazer a sua parte – e em termos econômicos nós tomamos as medidas necessárias, sem excitar o pensamento de como este problema é terrível, e porque não nos preparamos antes.

Este tipo de pensamento, baseado no passado, no imprevisível, e nas expectativas para o futuro é improdutivo, porque não está no nosso controle viver a crise ou não: ela já chegou, e agora só podemos encontrar o caminho para manter o mínimo de prejuízo possível.

As oportunidades da crise do Corona Vírus

Como não devemos manter o nosso pensamento na crise do Corona Vírus, estamos tendo a oportunidade de projetar em nossas mentes os próximos passos do nosso negócio – e, inclusive, este não deve ser um exercício solitário.

Muitas empresas contam com programas de incentivo à ideias e melhorias que possam apoiar o negócio e reduzir custos.

E, partindo para uma esfera de maior potencial, a contratação de uma consultoria focada na proposição de melhorias e economias tem um trabalho mais incisivo – afinal está focada neste objetivo, e não no dia a dia.

O momento vai exigir das empresas que seus processos se tornem mais enxutos e eficiente possível, pois definitivamente não é o momento de manter gastos ou desperdícios de qualquer tipo.

E, na contramão do pensamento comum de foco no agora, como gestor você deve reconhecer que as grandes crises mundiais sempre foram antecessoras de grande crescimento e expansão de conhecimento e negócios – o que abre um universo de possibilidades.

Então, algumas perguntas para carregar, daqui para o futuro são:

  • Como esta crise está interagindo diretamente com o meu mercado?
  • Como o meu negócio aprende a interagir e apoiar a sociedade com a crise do Corona Vírus?
  • Se tivéssemos uma bola de cristal há um ano atrás que tivesse permitido perceber esta crise mundial, o que poderíamos ter feito de melhor para o nosso negócio?

Esta última pergunta é especialmente interessante, porque nos coloca na posição de refletir sobre a crise que talvez enfrentaremos daqui um ano – e o que podemos fazer hoje para ter um futuro mais seguro.

Seguindo a linha de pensamento do “copo meio cheio e copo meio vazio”, este é o momento de lançar o olhar para frente – buscando as próximas oportunidades.

E também temos um artigo completo sobre como blindar as finanças da sua empresa, que você precisa conferir agora.

Você conhece o Pinterest da Souf? Estamos compartilhando muitas dicas boas por lá!

Gostou? Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×

Vamos falar sobre seu negócio?

Clique abaixo para conversarmos.

×